Entenda a relação entre a coceira nos olhos e o Ceratocone

Apesar de não ser uma das doenças oculares mais conhecidas, o Ceratocone apresenta um número de incidência maior do que se possa imaginar – cerca de 1 a cada 2000 pessoas apresentam a doença.

O que é Ceratocone

É uma doença ocular que tende a ser progressiva e provoca o afinamento e aumento da curvatura da córnea, deixando-a com um formato cônico e pontudo. A principal característica do Ceratocone é a queda acentuada da acuidade visual e ausência de estabilidade do grau, com aumentos constantes no grau dos óculos. Em sua fase inicial ainda é possível obter boa visão, entretanto, com a progressão a qualidade visual começa a ser comprometida levando a dificuldades mesmo com o uso de óculos.

 

Causas

Existem dois fatores gatilhos para o desenvolvimento da doença. Um é a herança genética, não obrigatória: pessoas com casos de ceratocone na família, principalmente entre parentes de primeiro grau, têm maiores chances de desenvolver a doença, necessitando de acompanhamento frequente, para caso desenvolva a doença, o diagnóstico seja realizado de forma precoce, quando existe maior possibilidade de se manter boa qualidade visual. O outro fator é externo e está associado ao hábito de coçar os olhos de forma incessante.

“Principalmente em córneas predispostas, coçar os olhos pode levar ao seu enfraquecimento e prolapso, aumentando a chance de surgir Ceratocone e também sua velocidade de progressão. Este mau hábito geralmente é causado na maioria das vezes por quadros alérgicos, havendo inclusive, frequente associação da alergia ocular com outros quadros sistêmicos comuns, como rinite, alergia na pele (dermatite) e bronquite. Entretanto, o tratamento dessas afecções não costumam ser eficazes para os sintomas oculares, que além da coceira ocular, costuma desencadear:

  • Olho vermelho;
  • Lacrimejamento;
  • Aumento na sensibilidade à luz;
  • Sensação de corpo estranho.

Há portanto, necessidade de tratamento ocular específico que geralmente é realizado com diferentes opções de anti alérgicos na forma de colírio e em casos mais graves com imunossupressores.”, aponta o especialista Dr. Michel Rubin.

 

Grupos de Risco

O ceratocone tem maior incidência em adolescentes e adultos jovens, e tende a estabilizar a sua progressão na faixa etária dos 40 anos de idade.

 

Diagnóstico

O diagnóstico é realizado por um especialista. Através de exames específicos como a topografia e paquimetria. Estes exames devem ser solicitados em algumas situações que aumentam o risco no desenvolvimento desta doença, principalmente quando há história familiar de Ceratocone, curvatura acentuada da córnea e qualidade visual não perfeita, mesmo com uso de óculos.

Os exames regulares de avaliação da córnea também são importantes para o acompanhamento da doença. Na CEVIPA você pode realizar sua consulta de rotina e exames no mesmo dia, dispensando retornos adicionais e aumentando-se a resolubilidade e chances de um diagnóstico mais precoce.

Tratamento de Ceratocone em Curitiba

Houve grande avanço nas alternativas terapêuticas para o Ceratocone. Há diferentes alternativas, dependendo do estágio da doença e presença de evolução.

Nas fases iniciais, o tratamento tem como objetivo melhorar a acuidade visual, com o uso de óculos e lentes de contato que podem ser rígidas ou esclerais, sendo possível obter boa visão na maioria dos casos com estas alternativas.

À medida em que a doença tenha progressão poderá ser indicado o crosslinking corneano, um procedimento cirúrgico a laser que fortalece as ligações das fibras de colágeno da córnea, deixando-a mais estável e forte, interrompendo a evolução do Ceratocone.

Outra forma de tratamento é o implante de anel intra-corneano, também conhecido como anel de Ferrara. O Anel é feito de acrílico transparente e implantando em uma das camadas da córnea, dando maior sustentação para o tecido corneano, deixando o formato da córnea mais regular e melhorando a qualidade visual.

Quando todas as outras formas de tratamento não conseguirem mais proporcionar boa qualidade visual, pode ser necessário o transplante de córnea que pode ser lamelar (apenas uma camada da córnea) ou penetrante (transplante total).

Onde fazer o tratamento do Ceratocone em Curitiba?

A CEVIPA agora conta com uma segunda unidade em Curitiba para consultas, exames e tratamentos do Ceratocone, além da unidade Centro na Avenida Vicente Machado, oferecemos também a Unidade Juvevê localizada dentro do Hospital São Lucas, que conta com 4 salas de atendimento, centro de exames e sala de adaptação para lentes de contato.

 

Agende sua consulta com o Dr. Michel Rubin

O Dr. Michel Rubin é o diretor técnico da CEVIPA – Unidades Centro e Juvevê -, além de Coordenador da área de Oftalmologia dos Hospitais São Lucas e São Vicente. Certificado pela Sociedade Brasileira de Ceratocone e especializado também em Cirurgia Refrativa, Catarata e Glaucoma. Formado pela Santa Casa de São Paulo e especialização pela University of California, nos Estados Unidos.

agendar-consulta-cevipa

 

Entre em contato com a nossa equipe de atendimento pelo telefone (41) 3029-0099, pelo WhatsApp (41) 9-9175-3138 ou pela central de atendimento em nosso site.
Deixe um comentário