Catarata afeta a visão na terceira idade

Faz parte do processo natural de vida do ser humano envelhecer com o passar dos anos. E junto com este envelhecimento, vem diversas mudanças no corpo que são apresentadas ao longo do tempo. Uma dessas mudanças é bastante comum e atinge pessoas principalmente a partir de 60 anos, a Catarata.

É normal entre pessoas desta faixa etária achar que não há tratamento ou que é preciso conviver com essa doença como se fosse algo da idade. Mas isso não é verdade, a doença pode e deve ser tratada, para permitir uma melhor qualidade visual e por consequência propiciar que as atividades do dia a dia sejam realizadas sem dificuldades.

O que é a catarata?

De forma bem simples, a Catarata acontece quando o cristalino, que é a lente natural de nosso olho, se torna opaco e prejudica a qualidade da visão, fazendo com que ela fique embaçada e turva. O cristalino, está localizado atrás da íris, e é responsável por receber os raios de luz, filtrá-los para enviar a imagem nítida ao cérebro.

Com esse embaçamento do cristalino, as imagens chegam sem nitidez à retina e prejudicam consideravelmente a visão do paciente. Como consequência, pode também trazer outros danos à saúde, como a depressão, isolamento social e aumento no risco de quedas além de outros acidentes. Lembrando que a queda em um paciente com mais idade, apresenta consequências muito mais sérias a quedas em jovens.

 

Existem outros fatores, além da idade, que podem levar ao seu desenvolvimento inclusive em idade mais precoce:

  • Congênita, surge no nascimento;
  • Diabetes, principalmente quando seu controle é difícil;
  • Uso de colírios sem recomendação médica;
  • Inflamações intraoculares;
  • Radiação;
  • Traumas na região dos olhos.

Como é o tratamento da catarata?

A catarata é a principal causa de cegueira reversível entre pacientes com mais de 60 anos.
O tratamento da catarata é feito de forma exclusivamente cirúrgica, já que a troca de óculos ou uso de colírios são ineficazes para melhorar a opacidade da lente. Durante o procedimento, o cristalino é triturado e depois sugado. Esse segundo processo é conhecido também como facoemulsificação. Após a retirada do cristalino opaco, é colocado em seu lugar, uma lente intraocular (LIO), que terá a mesma função da lente natural no processo da visão. Há uma grande variabilidade de lentes intra-oculares disponíveis, a melhor escolha nem sempre é algo fácil.

“Considero a personalização do tratamento, como parte importante para a satisfação de nossos pacientes. Para selecionar a lente a ser implantada, consideramos as atividades mais realizadas no cotidiano e a distância utilizada para leitura. Isso é algo muito individual, que depende inclusive do biotipo de cada pessoa.”, aponta o especialista Michel Rubin.

É um procedimento seguro, que apresenta seus riscos naturais como qualquer cirurgia, mas que tem uma das maiores taxas de sucesso de toda a Medicina, com mais de 97% dos pacientes recuperando a visão plenamente após o procedimento.

Sintomas da Catarata

Os principais sintomas da catarata são a visão opaca e turva, tornando bem mais difícil para o paciente enxergar de forma satisfatória. Além disso, é possível apresentar visão dupla, imagens fantasmas e até mesmo a sensação de que há um filme passando sobre os olhos. Na fase inicial, a diminuição na sensibilidade a cores e contraste pode afetar a visão noturna levando a problemas como dificuldade para dirigir à noite e ofuscamento com a luz.

Em estágios mais avançados da doença, é possível perceber o esbranquiçamento da íris, quando a qualidade de visão já deve estar bastante prejudicada. Também é possível perceber a luz de forma mais fraca, impedindo a realização inclusive de tarefas simples.

 

Benefícios e indicações da cirurgia de catarata

Houve grande avanço na tecnologia dos exames para programação cirúrgica, equipamentos utilizados e desenvolvimento de modernas lentes intra oculares. Atualmente é possível alcançar uma excelente qualidade visual para longe e para perto sem a obrigatoriedade do uso de óculos, mesmo que o tenha utilizado na maior parte de sua vida. E poder voltar a enxergar bem, pode trazer recuperação da autonomia para as atividades do dia a dia e independência do uso de óculos. Utilizamos a técnica minimamente invasiva com anestesia tópica e sedação, pequena incisão, sem a necessidade de ponto ou de uso de tampão ocular, proporcionando uma cirurgia segura e com rápida recuperação visual e retorno às atividades do dia a dia.

A cirurgia pode ser realizada no estágio inicial, o que aumenta inclusive, a taxa de sucesso do procedimento. Por isso, é importante o acompanhamento oftalmológico frequente, principalmente a partir dos 50 anos, para garantir que a qualidade visual seja mantida.

Onde fazer o tratamento de catarata em Curitiba?

A CEVIPA agora conta com uma segunda unidade em Curitiba, além da unidade Centro, oferecemos também a nova Unidade Juvevê localizada no Hospital São Lucas. Conta com 4 salas de atendimento, centro de exames e sala de adaptação para lentes de contato. Oferece também centro cirúrgico com equipamentos de última tecnologia e ótima estrutura para uma cirurgia segura e tranquila.

 

Agende sua consulta com o Oftalmologista Dr. Michel Rubin em Curitiba

O Dr. Michel Rubin é o diretor técnico da CEVIPA – Unidades Centro e Juvevê -, além de Coordenador da área de Oftalmologia dos Hospitais São Lucas e São Vicente. Membro das sociedades brasileira e americana de Catarata. Formado pela Santa Casa de São Paulo e especialização pela University of California, nos Estados Unidos, o Dr. Michel é médico oftalmologista especializado em cirurgia refrativa, catarata, glaucoma e ceratocone.

agendar-consulta-cevipa

 

Entre em contato com a nossa equipe de atendimento pelo telefone (41) 3029-0099, pelo WhatsApp (41) 9-9175-3138 ou pela central de atendimento em nosso site.
Deixe um comentário